quarta-feira, 24 de junho de 2009

Desfecho


Poderei tentar esquecer-te
Assim que aprender a arrancar o coração
E jogá-lo na curva de uma onda morta
que o levasse para a imensidão




Aturdindo meus pensamentos
rabiscando com a razão
te faria versos novos
como alento da solidão




E lançar nos últimos raios
as palavras jamais ditas
pendurando em algum astro
o desfecho de minha desdita





Nenhum comentário:

Postar um comentário